FANDOM


Abaixo você poderá ver toda a estória que acompanha o enredo do jogo The Mijai Game, dividida entre o progredir do jogo e suas respectivas eras.

Storyboard Editar

Há muito tempo um jovem chamado de Gustavo Ferreira se indispôs contra a tirania de Arthur L. Neto em seus momentos de colégio, o que gerou uma reviravolta total no mesmo aonde os alunos estupefatos não sabiam em quem acreditar. Ambos pareciam ter ideais semelhantes, mas uma rivalidade intrínseca que os separavam e os tornava o que são: inimigos. Ameaças rudes e comportamentos mesquinhos mesclados ao social de época mercaram um período o qual por lábia e muita sorte, Arthur saiu vencedor fazendo todos se virarem contra Gustavo e desejarem sua expulsão, assim feita. Indignado, Ferreira passou parte de sua adolescência combatendo comportamentos semelhantes ao de Arthur, baseados em um demasiado auto centrismo e uma excessiva autoconfiança, que o provocavam profunda raiva. Tempos depois na maturidade, Gustavo resolveu deixar acontecimentos passados e investir em sua carreira, indo a uma expedição longínqua para esquecer juras de vingança feitas no passado, até por obséquio do destino se reencontrar com o mesmo. Agora bem sucedido, L. Neto se gaba de Gustavo alegando estar lá pela nova descoberta científica: o cristal de Karkesnt. Isso gera uma discussão que faz crescer em Ferreira o desejo pelo cristal, e na mesma os dois travam uma luta com a equipe de escavação por métodos de tê-lo. Aliados cada um com um grupo, uma rivalidade gerou a descoberta e a retenção pelo governo do cristal, que foi enviado em um museu em Paris. Depois de anos perdendo, vendo que Arthur iria ligar para influentes para conquistar o artefato para si por luxuria, Ferreira decide dar um basta e formar uma gangue e intitulando-se terrorista, roubar o cristal apenas para garantir seu poder. Assim se faz, ele em um armazém junto com seu melhor amigo Marlon contempla a vitória, até o momento. Cientistas anunciam a descoberta de uma nova partícula achada em quebrados do Karkesnt, e que seria a solução para energia elétrica no planeta por seu potencial radioativo levemente estável, porém, deveria ser mantido em condições que por seu roubo não seriam possíveis: cinquenta graus negativos. Sem saber o que fazer a gangue se perde, e em um caminhar pelas ruas da capital da França, Gustavo cruza-se com Arthur que o indaga com o cristal, sabendo que o próprio teria envolvimentos. Ele apenas ri, dizendo que teve a sorte de não ter em mãos tal obra do Apocalipse, e estar aliviado com tudo. Após isso, Ferreira volta ao armazém e vê um evento surreal acontecendo. Um portal desfigurava tudo o que era matéria e sugava a todos para lá. Policiais tentam ajudar a mantê-lo, mas era tarde demais e toda a Paris foi-se consumida, e em poucos minutos o mundo. Anos depois, os sobreviventes viviam agora em uma era do Renascimento, aonde tudo o que foi urbanizado antes fora destruído, e somente restou a Terra em seu estado original como se tivesse sido reiniciada. Partículas do cristal se espelharam em quatro pedaços, tomados por facções que se formaram no globo que juntas formavam um novo império terráqueo, todavia, a mesma gangue que formou Gustavo era agora liderada por Marlon, porém isolados do contexto sócio-econônimico precário. Com o reiniciar, muitos materiais antigos voltaram a existir e a tecnologia deu-se avanços, mesmo que não suprindo totalmente o que se tinha antes, no entanto infelizmente especialistas em Geografia constatavam que mesmo tendo-se criado o paraíso, em breve vulcões iriam eclodir, e assim causaria a morte da raça humana, feita em pesquisas. A solução seria voltar o que era antes, mas não tinha como se tomar os pedaços de volta para experiências já que por motivos populacionais e políticos isso não seria possível por vias legais, mas, em legado de sua sobrevivência Gustavo pediu em seus últimos momentos de vida que seu erro fosse reparado. Marlon, amigo do mesmo, iria fazer isso e como excluídos da sociedade contemporânea, nada mais justo para suprir este pedido do que usando dos mesmos meios sujos para tomar o cristal de volta, e através de uma máquina elaborada por especialistas de sua gangue tentar fazer o mundo voltar a ser mundo. Ainda assim, obviamente essa missão seria perigosa, ameaçadora, e é justamente para isso que o jogador de The Mijai Game estaria sendo treinado.

Nível 0 Editar

Um descendente da gangue, o jogador, é escolhido e bem treinado durante anos para transitar pelos campos do planeta e tomar para si os quatro pedaços do cristal. Marlon o instrui no nível 0 como fazer isso, ensinando golpes, táticas e manobras para lutar contra adversários dos “universos” que iria vivenciar, além de melhorar suas aptidões físicas e instruir sobre o que sabiam do contexto socioeconômico da sociedade atual. No final do treinamento, Rodriguez entrega para o jogador um comunicador que seria útil caso o mesmo precise. Assim sendo, ele abre um portão que dava acesso a uma pista de teleporte que seria útil ao jogador ir para sua primeira facção, o dando boa sorte e pedindo para fazer por seu líder.

Era Besoura Editar

De um clarão próximo a uma grande escadaria de rocha, o jogador aterrissa em uma espécie de cidade construída entre a vegetação dos topos de uma enorme “cordilheira” de montanhas, de aspecto arcaico – feito com matérias simplórias e artesanais – e de organização política comunista, ou seja, os próprios moradores a mantinham por uma aparente figura representante. Assim, o império que ali reinava era chamado de os Besouros-Negros. O Mijai subindo pelas escadas percebe que aquele lugar era muito perfeccionista, com seu cenário e até as posições das rochas detalhadas, além de uma enorme altitude presenciada pela vista que o faz temer por perder o equilíbrio enquanto subia. Enquanto isso, dentro de um lugar escuro um prisioneiro era indagado por tal líder político chamado BN Beetleleader que o questionava quanto a delitos a sociedade Besoura, de suprimentos, afirmando com clemência que tal invasor era um “M-A”. Um dos guardas ao lado afirma que sabia a identidade do ladrão, Savoir Mad, e o próprio diz ser outra pessoa. Beetleleader diz suspeitar de um complô por parte dos M-A’s aos Besouros-Negros e afirma não deixar mais barato como antes, preparando execuções, e espertamente o M-A conversa que há mais dos seus naquela cidadela, dizendo que se solto colaboraria na localização de sua tribo. Todos ficam confusos com o acordo, e Beetle pergunta como podia confiar no ladrão, pois quem rouba jamais teria uma boa noção de valores, e disso vêm a vontade sincera de sempre falar a verdade. Ainda sim ele, de fato Savoir, diz nunca ter sido incluído nos M-A’s e que aceitaria e amaria trabalhar para os Besouros-Negros numa eventual atividade, no agora, embora ainda quisesse que sua tribo fosse levemente penalizada, e saia sem muitos danos. Beetle chama alguns expectadores tais como BN Bluebeetle, Robert Sonson e BN Miss Martian para uma conversa e decidem aceitar o acordo. Mad pede então para ser solto e Beetleleader afirma que até o fim estaria ao seu lado, e Savoir pergunta se até no banheiro, com o líder político confirmando. Assim, os guardas soltam o M-A e na primeira oportunidade de fuga ele a faz, usando boa flexibilidade, fazendo todos furiosos e abobados irem atrás dele saindo de uma construção no centro daquela espécie de cidadezinha cercada por muralhas de pedra, bem na vista do Mijai que dos altos das montanhas apenas assistia a perseguia, com Mad tento vantagem e escapando pelas matas e forçando a todos a ficarem alertas para ataques. Assim o curta termina com o jogador comentando que a aventura nos Besouros-Negros já começou bem. Assim começa-se o gameplay, aonde o controlador do Mijai o dirige até um ponto de interrogação andando pela entrada do Beetle Legacy, fazendo Marlon se teleportar para auxiliá-lo com conselhos de era. Dentre suas palavras estão digas de como se lutar contra os Besouros, os conceitos do jogo, uma ordem de usar o martelo de Thor e seus poderes místicos para teleportar cinco M-A’s para seu “respectivo mundo”, ou seja, sua tribo; porém o principal a ser dito é que decorrente da condição de relevo da região, muitas áreas do jogo jamais seriam atingíveis sem um método de escalada, possível agora com o presenteio do laço Mágico, que era um laço avançado que automaticamente se prendia em qualquer saliência fazendo o jogador escalar até o topo de qualquer superfície. Marlon instrui também o Mijai a respeito que independente da facção, haveria sempre um ponto político central só acessível com uma “ficha Chefe”, as quais os representantes das mesmas iriam fazer de tudo para esconder como no caso dos Besouros-Negros. Assim ele encerra a conversa com uma boa sorte, e deixa o jogador tomar partido. Assim dá-se chance de explorar não só o Beetle Legacy, mas também todos os locais encontráveis o perambulando, além de coletar várias riquezas e principalmente tomar frente com os moradores Besouros-Negros que intitulando o controlador do personagem como M-A ia logo ao seu ataque, de diversas formas. O resultado esperado era de sempre eles sempre serem derrotados, mas como no caso do Legacy uma ficha Chefe é escondida por Beetleleader em um conjunto de placas espalhadas pela região coladas nas muralhas e rochedos com o símbolo do grupo, que seria só encontrável com muitos jogos puzzles e inteligência elevada. Depois da primeira ficha Chefe, o jogador pode alternar do Beetle Legacy para extensões do domínio Besouro-Negro cujos caminhos estão em certas extremidades do local central, e se classificam como mini games (de treinamento e interação com a sociedade Besoura), uma viagem para o território mais indomável do reino, e por fim uma visita a outra ponta de civilização, embora menos importante, de tal sociedade. Respectivamente, os dois últimos possuem fichas Chefes como recompensa. O primeiro citado é o Abismo da Desolação, no qual o jogador percebe uma movimentação estranha de Besouros em uma depressão do relevo ali, aonde bem no fundo se ouve escondido que se foi colocada uma ficha Chefe na antiga prisão bem no fundo daquele local, e que transportes de materiais iriam ser transportados para dar maior estrutura para que nunca lá seja atingido. Aproveitando-se justamente do maquinário de transportes, o Mijai se revela para os Besouros e o rouba, descendo com ele para baixo e os deixando-os estupefatos. Todavia, descer por aquele caminho não seria tão fácil quanto parecia, já que a diversidade de caminhos e má condição do solo rochoso iriam dificultar e muito a travessia daquele percurso, além do risco de cair em queda livre no abi sesmo ao lado, e principalmente o fato que alguns dos Besouros que presenciaram a afanação trataram de perseguir a pé o desordeiro, fazendo com que caso ele bata em obstáculos na pista e pare, seja pego pelos mesmos. No caminho também outros operários podem ser vistos e até atropelados, dando dano ao jogador, até o fim do caminho que usando daquela espécie de carroça para quebrar a então frágil porta e entrar na prisão rapidamente, consegue-se roubar a ficha e fugir por uma elevação do solo oposta a que veio que faz voltar de volta ao Beetle Legacy. Também se pode ir as Montanhas do Isolamento, que após certa caminhada enfim se chega a melhor visão da “cordilheira”, percebendo-se em um “vale sagrado” no topo mais alto do cume, e nele o Mijai explora os campos a fim de encontrar a morada de Robert Sonson visível em um mapa posto bem no início do vale, que seria o ponto mais distante e também o local presencial da ficha Chefe ali presente. Porém justamente lá que a maior parte dos Besouros-Negros morava, e protegendo seu território eles lutavam mais bravamente contra o jogador. A verdade é que para passar por aquelas montanhas que, aliás, possuíam brechas entre o solo de uma a outra, formando também um abismo, se passava por muitas pontes e em muitos casos o laço Mágico era extremamente necessário, para passar com a ajuda de saliências tidas em galhos de árvores. Subir em topos de casas também com isso era possível, porém o vale se dividia em três regiões por sua importância e ao mesmo tempo risco, que só seriam atingíveis via chaves nas cores: azul, amarela e vermelha; respectivamente. Com Besouros de alta confiança, o jogador teria que passar por puzzles ou lutas para encontra-las, que estavam na posse respectivamente de BN Bluebeetle, BN Rangoo e BN Miss Martian. No caso do primeiro, a solução para encontra-la era identifica-lo entre os demais e o derrotar corpo-a-corpo; o segundo seria conseguir encher um poço com água de um córrego para fazer a chave boiar para superfície, sem vê-lo; e a terceira ocorrência seria pular plataformas e chegar até o verdadeiro e supremo ponto mais alto ao lado de uma seringueira, pegar tal chave lutando com Miss. Ao final, se chega a morada de Robert e facilmente na parte traseira em um armazém pode-se encontrar e conquistar com merecido esforço das andanças a última ficha chefe, abrindo assim a Fortaleza Besouro-Negro, no centro “urbano” do Beetle Legacy. Chegando a tal fortaleza, o jogador entra em uma espécie de labirinto movido pelo poder do um quarto do cristal de Karkesnt, administrado por Robert Sonson. Assim, salas estratégicas desconectadas com os pontos reais e políticos dos Besouros-Negros, além de desafiantes, são propostas ao jogador com fim de passa-las para chegar ao outro lado. Alguns enfrentamentos também são vistos, até que o Mijai chegue justamente a uma sala matriz aonde quebrando uma parede, ele possa chegar a um corredor mestre e andar realmente pelas instalações Besouras, tratando de desbloquear portas bloqueadas por Robert. Com a ajuda de rachaduras, os desafios do labirinto aos poucos são domados até chegar a sala principal aonde se pode ter uma leve luta contra Sonson o derrotando, e desativando o sistema giratório daquele moderno local. Assim passando pelas salas já passas, uma sala especial de porta rochosa e dura se abre, e entrando nela se chega a oportunidade de luta contra Beetleleader, curiosamente na prisão do ponto. Lá no curta, Beetle mostra-se farto de todos os ataques e roubos M-A’s, enfurecendo-se ainda mais quando o jogador o revela não ser M-A e sim Mijai, por descrença. Beetleleader conclui que quem falava foi de longe o que fez mais estragos em todo o império e pergunta a ele o que ele queria junto a sua tribo, e reparando um sistema complexo de eletricidade alimentado justamente naquela sala, bem no topo da mesma, pelo cristal ele dá a entender que era justamente o próprio. Aí que Beetle se irrita mais e pegando seu cassetete, diz que iria desacordar o invasor e puni-lo severamente como prova do poder dos Besouros-Negros, claramente perdido da razão, iniciando assim uma luta. No “primeiro tempo”, Beetle é derrotado deixando o Mijai tomar o cassetete para si e o jogar contra o cristal, causando danos aos sistemas. BN Beetleleader se apavora dizendo que ele era muito delicado, mas o jogador diz ter o direito de o tê-lo, pois era para um fim benéfico, porém sendo ignorado pelo Besouro que o via como apenas um mero ladrão e sai da sala, voltando com uma espingarda. No “segundo tempo”, o jogador enfrenta a ação da arma derrotando com golpes o mesmo, e usando de sua arma para destruir ainda mais os sistemas de alimentação do cristal. Forçado a recuar, o Besouro retorna para o “terceiro tempo” com uma roupa de guerra, bem armado, e com luvas tecnológicas experimentais que usavam aumentavam o impacto do ar, fortalecendo socos e sua recepção, porém depois de combates como outros Beetleleader cai desacordado e o poder das luvas é revertido na polaridade pelo jogador e lançado para o alto, ocasionando uma explosão que desprende o cristal do teto e o mesmo cai, rachando. Mesmo assim ele é pego, e nas mãos do Mijai ele quebra formando um mais puro, brilhoso e virgem em suas mãos que é teleportado para Marlon. Uma vez com a primeira parte do cristal, Rodriguez diz ser a vez de enfrentar os poderosos guerreiros M-A’s e desbloqueia a era M-A, dizendo que ele já podia retornar a casa.

Era M-A Editar

Depois de voltar para o vale dos Mijai's, o jogador posiciona-se para o teleportador e adentra nas dimensões do território M-A, que era uma enorme ilha de clima temperado. Do mesmo clarão que surgiu antes, quem joga logo se encontra num porto frente ao oceano, em um território altamente dominado por construções de madeira em vários pontos a distância que denotavam que as extensões M-A's beiravam as águas. Uma placa com uma caveira branca pintada é vista, além de reparar que o solo nada mais era que uma areia bem fofa. Diante da enorme quantidade de barcos e uma elevação de madeira que levaria o Mijai da costa para as zonas mais urbanizadas daquela cidadela, ao som de uma gaivota, o Mijai estupefato para por um instante para ver a paisagem,extasiante. Logo percebe a ausência de tecnologia moderna, notando que o que o cercava eram compostos de métodos mais arcaicos, o que contrastava com as lendas M-A’s de ferozes hackers. O personagem então comenta que nestes mesmos moldes ele conseguiu facilmente derrotar os Besouros-Negros, e então acreditava que com os M-A’s não seria diferente. Mal sabia ele que estava errado nas duas afirmações, pois uma câmara no alto de um conjunto de rochedos o focava, enviado imagens e sons para um casebre desconhecido aonde M-A Gênio, estranhando o que via, diz a M-A Cybernético que uma figura desconhecida adentrou nas terras dos M-A's, e rapidamente tira os dados para arquivos móveis dos computares, e terminando um breve relatório ele diz que teria que entregar tais dados ao Comandante. O próprio ilustre e imponente estava em uma grande construção no topo de uma floresta silvestre a espera dos M-A's Soldados, que por ventura traziam consigo um prisioneiro, manifestante contra o governo ali presente. Quando o mesmo é jogado para dentro de uma arena, Comandante sem revelar sua face do alto pede para os Soldados se retirarem, e logo em seguida pede notificações dos dizeres antes tidos. O rapaz tido como Lorde dos Lordes reafirma que achava um insulto aos M-A’s tolerarem o tratado de paz feito há anos com a sociedade “Benática”, “para não dizer ultraje”, e questionava Comandante daquilo. Lordes afirma ter outros compactuando com sua visão, mas o supremo guerreiro diz que tal fato era óbvio e de longe recente, mas sabia que nada seria feito a respeito. Ele diz que a parceria os davam imunidade política, e não tinha notícias dos “Benáticos” há anos, sem interferências com a política local. Lordes diz que não, que via com seus próprios olhos “usuários” como Hermntrix se aproveitando da colheita dos agricultores, VinhoGiles espionando a atividade recente, além de outros como Pedro Henrique642 fazendo similares. M-A Comandante afirma que tal coisa era não só normal como os M-A’s também tinham permissão de fazer o mesmo, mas Lordes diz que comportadamente os M-A’s não fazem, mas os “civilizados Benáticos” sim, e diz ser uma ironia serem justos os M-A’s se chamarem “bárbaros”. Ele ainda questiona a libertinagem do Universo Ben 10, principalmente pelo fato de que eles têm menos regras e mais livre arbítrio no governo dos M-A’s superiores do que os próprios M-A’s; teoria dita por Casie986 e apoiada por muitos anos atrás. Irritado com tudo Comandante estranhamente faz surgir um trovão do nada e olhando bem nos olhos de Lordes diz que ele apenas estava caçando intrigas em pontos resolvidos, e por sua visão limitada jamais merecia ser ouvido. Isso faz o mesmo se irritar dizendo que o líder não queria ver a verdade e que passava a suspeitar que outro deveria estar em seu lugar, fazendo brotar um raio que quase o atinge. Lordes estranha de primeiro momento, mas logo percebe que tudo aquilo vinha de um avançado sistema governado por luvas na posse de Comandante, e alimentado por um pedaço do cristal que sustentava toda a tecnologia. Logo, ele diz que o líder dos M-A’s era quem possuía o cristal, e achava que já estava na hora do M-A ser deposto, e os pontos na verdade mal resolvidos serem acertados sob novo julgo, iniciando uma guerra ao UB10 como exemplo. Ele conclui chamando Comandante de covarde, e antes de ser acertado pela fúria do superior ele foge para a alimentação do cristal, instável, fazendo o sistema segui-lo e mandar um raio bem nele na frente do cristal, o atomizando. Diante de tal ficção científica, Comandante desce do pedestal em que estava e vai ver os restos de Lordes, acusando-o de conspirador que teve rapidamente seu merecido destino realizado. De súbito, M-A Ordenador abre as portas da arena ouvindo o barulho e passando o relatório de Gênio, dizendo ser importante: uma nova invasão, tida como Mijai. Comandante estranha a presença de só um soldado, todavia Ordenador diz acreditar ser apenas reconhecimento, para depois um ataque. Assim o M-A ri e pede para que os membros deem as boas vindas aos visitantes, da melhor maneira, e entendo o recado o M-A parte dizendo transmiti-lo com êxito. De muito longe, o trovão pode ser escutado pelo Mijai que olhava para o céu, sem nuvens, e estranhava, pois não acreditava que ia chover. Assim acaba o curta. Iniciando o gameplay, o jogador tem acesso agora a toda dimensão da "Touredo Village", cidadela construída a costa do oceano para servir tanto de campo de batalha, como de treinamento e em cantos mais protegidos, comércio e lazer. Como no Beetle Legacy, extensões para todo o território que compunha o império M-A estavam ao acesso da aldeia, que era como ponto central da “era”. Ainda no porto, perto da elevação de madeira, um ponto de interrogação podia ser acionado evocando assim Marlon Rodriguez para instruções do nível. Uma vez na ilha, o Mijai parabeniza seu aprendiz de seus feitos nos Besouros-Negros, todavia, ele afirma que agora a missão iria começar a esquentar. Dizendo que os Besouros nunca foram adversários fortes, sempre isolados, reclusos e suscetíveis a ataques; ele deixa bem claro que o mesmo era impossível de ser dito sobre os astutos e valentes M-A’s, que eram um grupo bem hierarquizado de guerreiros com alto acesso a diversos tipos de armas e uma infinidade de táticas de luta e estratégia de combate, úteis para manter a fama da “tribo” de impetuosos e indomáveis. Engolindo sua saliva, o personagem diz estar em choque com o que tinha a fazer, e Marlon concorda que derrota-los seria uma tarefa muito árdua e complicada, porém o treinamento antes feito era a altura do que estava por vir. Infelizmente, Rodriguez diz que a geologia do lugar, mesmo com um solo arenoso, também poderia ser um obstáculo, pois possuía uma excessiva quantidade de rochas, e algumas irregularidades de relevo cujo resultado era a criação de pequenas montanhas e ali presentes por toda parte, o que dificultaria a escalada usando apenas o laço mágico. Quando então o personagem pegava-se em um teste interno de coragem, Marlon ri e conclui que justamente a isso já tinha sido pensada uma solução: as botas Potenciais. O jogador fica estranhado de como botas poderiam ajudar nas duas dificuldades, e ai o instrutor explica que a tecnologia das mesmas permitia que, com um núcleo interno bem poderoso e autossustentável, elas teriam o poder de criar explosões de energia cinética que resultaria em um forte impulso, que em conjunto a ação de um mero salto causava um aumento de potencia que permitia então que o usuário se se eleva até dez metros de altura! Quanto às batalhas, Marlon diz que se não usado desta forma, a explosão ficaria presa e seria sufocar-se, com o efeito de um incontrolável impacto no solo. O efeito final seria um som atordoante e até certo quebrar em chãos frágeis, que se assimilando ao som de um trovão bem alto, iria simplesmente desnortear o oponente temporariamente dando então a oportunidade de um ataque feroz; fazendo com isso seja em outras palavras, um macete de luta!Impressionado, o jogador bate palmas ao que viu, e Marlon conclui que fora estes dois aspectos, a ilha ainda iria testar as suas habilidades de natação pelas altas quantidades de lagos e rios, além de que como sistema universal, o jogador teria que localizar como fez com os Besouros três fichas chefes para ir à ilha onde a fortaleza que mora o M-A Comandante, lar do pedaço do cristal a ser pego. Prestes a sair ele pede para eliminar cinco “benáticos” como fez com os M-A’s da ilha, e ouvindo o último concorde ele se retira. Assim, o jogador sobe ou não a instalação que eleva da costa ao interior do território, e quando chega ao topo e vê um conjunto de instalações de madeiras, com muitos armazéns com armas, baús, carriolas com alimentos, e rochas e outros componentes do cenário, o mesmo é avistado por M-A Cybernético, posicionado em uma elevada bateria de guerra, que o percebendo ele anuncia um ataque a todos os outros M-A’s pelo megafone e assim sendo, um alarme é emitido que além de despertar a todos, faz com que uma prisão de pedra não muito longe se feche com uma grade de aço junto a barras de ferro, em seu interior uma ficha chefe, e em consequência quase que conectadas sete estátuas dos M-A’s Superiores que antes estavam em seu esplendor se fincam no solo, sugerindo que de alguma forma elas tivessem poder sobre tal prisão. Marlon avisa ao jogador o efeito, tornando assim uma missão, e logo após o mini curta Cybernético começa a atirar explosões de energia pela avançada bateria, voltando assim o gameplay. Derrotando em ferozes lutas cada M-A ali presente, o objetivo volta-se claramente em localizar as estátuas dispersas, usando a explosão das botas Potenciais no efeito de causar sua pressão sob e unicamente ao solo, cujo impacto da força cinética fazia as mesmas instantaneamente desvincar-se, e com um pouco de força o jogador pode uma a uma levantá-las e bem posicioná-la. A primeira estátua está em uma represa (Megan456) bem no centro da vila, a segunda (M-A Ordenador) está nos alojamentos, a terceira (M-A Tradutor) está entre as feiras, a quarta (M-A Gênio) está já adiante, cercada pelas águas, em um ponto isolado ao lado de um armazém de armamentos e uma entrada aquática para uma arena de lutas bem próxima para saída para “Moonlight Community”, a quinta (M-A Segurança) está na própria arena de lutas, a sexta (Cybernético) está em uma caverna profunda entre as águas, em um gerador reserva de energia, e a central e principal está no topo da maior montanha do cinturão de rochedos ao acesso às montanhas, mirada para aldeia – a do Comandante. Quando as sete estão posicionadas, elas se sincronizam e a partir da de Comandante, uma emissão de uma ordem em vibração elétrica é feita que é ativada por cada uma, em uma linha notável, até a prisão (a mais perto seria a de Ordenador, que é a última), a fazendo abrir automaticamente. Assim o jogador obtém a primeira ficha chefe, e em meio ao lugar ele também pode explorar a imensidão daquela região: os cantos de terra, a aldeia central, a área comercial, as dunas isoladas, o cinturão de rochedos, e ainda nadar no imenso oceano. Dentre as saídas para mini-games que a Touredo Village possui, existem duas que levam a dois pontos da ilha os quais foram transportadas fichas chefe.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.